Home > Licenciatura > Engenharia Ambiental > Castelo Branco - Castelo Branco > Licenciatura em Engenharia dos Recursos Naturais e Ambiente - Castelo Branco - Castelo Branco - Castelo Branco

Licenciatura em Engenharia dos Recursos Naturais e Ambiente

Solicite informação sem compromisso ESA - Escola Superior Agrária/Castelo Branco

Para enviar a solicitaçao, você deve aceitar a Política de Privacidade

Comentários sobre Licenciatura em Engenharia dos Recursos Naturais e Ambiente - Presencial - Castelo Branco - Castelo Branco - Castelo Branco

  • Objectivos
    A preocupação com as questões ambientais é, actualmente, um facto indiscutível. Verifica-se que a opinião pública em geral e as diversas instituições do Estado, Governo Central e Autarquias, demonstram um interesse crescente pela preservação da qualidade do ambiente e dos recursos naturais. Efectivamente, o Homem está dependente da manutenção dos processos naturais para a sua sobrevivência e bem estar. A qualidade do ar que respiramos, da água que bebemos e dos alimentos que consumimos são factores essenciais para a manutenção da qualidade de vida a que aspira qualquer sociedade moderna e desenvolvida. Há também que referir outras áreas em que se verifica a necessidade de gestão racional para que estes objectivos globais de desenvolvimento integrado possam ser atingidos. Podemos destacar a manutenção das paisagens tradicionais, efectuada através de um adequado planeamento rural; a minimização e mitigação dos impactes ambientais decorrentes das utilizações do meio natural; a exploração racional de recursos biológicos selvagens (tal como as espécies cinegéticas e piscícolas, por exemplo); a conservação de espécies ameaçadas e endémicas, que constituem um valioso património natural do nosso País; a melhoria da qualidade do ambiente urbano, efectuada através do tratamento e valorização de efluentes e resíduos e da criação de espaços verdes. Torna-se, por isso, necessário efectuar uma gestão racional destes recursos naturais para garantir a manutenção das suas potencialidades e a perenidade do seu uso. Esta licenciatura visa a formação de técnicos que possam contribuir para a gestão de recursos ambientais abióticos (ar, água e solo) e de recursos biológicos. Entendendo-se que a noção de ambiente é de carácter horizontal, o espectro de áreas científicas a abordar ao longo do curso será muito diversificado e amplo.
  • Dirigido a
    Engenharia dos Recursos Naturais e Ambeinte - Saídas Profissionais O curso de licenciatura em Engenharia dos Recursos Naturais e Ambiente pretende formar técnicos numa área muito carenciada e surge no momento a que se assiste cada vez mais à valorização dos problemas ambientais e de gestão de recursos naturais. As principais áreas de inserção profissional dos formando deste curso serão: Autarquias: * Elaboração e gestão de Planos Directores Municipais. * Apoio ao planeamento rural e urbano. * Serviços municipalizados de abastecimento de água e de tratamento e valorização de resíduos e efluentes. * Planificação e gestão dos espaços e elementos verdes. * Valorização turística dos concelhos: levantamento de recursos e elaboração de material de divulgação. Organismos do Governo: * Áreas protegidas: trabalhos de investigação, gestão do habitat e das espécies. * Direcções Regionais de Agricultura: participação na gestão integrada das componentes agro-silvo-pastoris e dos recursos selvagens dependentes desta instituição (caça, pesca, apicultura). * Direcções Regionais do Ambiente e do Ordenamento do Território: participação nos serviços da competência destas direcções (recursos hídricos, poluição, licenciamentos). * Serviços centrais dos ministérios relacionados com o âmbito do curso (Ministérios do Ambiente, Agricultura e Ordenamento do Território): nos serviços técnicos destas instituições. Empresas de diversos sectores, nomeadamente das seguintes áreas: * Estudo e avaliação de impacte ambiental. * Elaboração de planos de ordenamento e exploração cinegética. * Gestão de zonas de caça do regime cinegético especial. * Turismo no espaço rural. * Gestão agro-silvo-pastoril. Associações e instituições sem fins lucrativos: * Associações ambientalistas: acções de divulgação e trabalhos de investigação. * Associações de âmbito regional (inter-municipais): valorização turística, gestão de resíduos e efluentes, abastecimento de água. * Outras associações: cooperativas, associações de produtores, associações cinegéticas. Participação em acções de formação, nomeadamente: * Educação ambiental. * Formação técnico-profissional em cursos específicos. * Ensino secundário de cariz profissionalizante.
  • Conteúdo
    Bioclimatologia

    Objectivos
    Conhecer os factores climáticos, as características do clima de Portugal e a sua influência sobre a produção. Os alunos deverão ficar habilitados a recolher e interpretar dados climáticos, efectuar classificações climáticas e a relacionar o clima com o desenvolvimento vegetal / animal. Deverão ainda ser capazes de seleccionar as espécies de acordo com critérios climáticos e regionais.

    Conteúdo programático
    Factores climáticos e respectivos aparelhos de medida. Factores climáticos e produção: Efeito da radiação e da temperatura. Microclima e produção. Relações hídricas das plantas. Classificações climáticas. Limitações do clima mediterrânico ao desenvolvimento vegetal e animal, selecção e adaptabilidade das espécies.

     

    Biologia

    Objectivos
    Pretende-se que o aluno adquira uma visão integrada da unidade e diversidade existente no mundo vivo, compreendendo aspectos fundamentais para a vida sob o ponto de vista bioquímico e biofísico.
    Conteúdo programático
    Níveis de organização celular: estudo dos níveis de organização estrutural dos procariotas e eucariotas. Diversidade biológica. Organismos celulares e vírus. Ciclo celular. Mitose e reprodução assexuada. Meiose e reprodução sexuada. Cromossomas e hereditariedade. Ciclos de vida e alternância de gerações. Fluxo energético, respiração e fotossíntese. Como circula a matéria orgânica e inorgânica na biosfera. Resposta das plantas a estímulos ambientais.

     

     Detecção Remota e Cartografia 

    Objectivos
    Utiilização de informação obtida por detecção remota, em especial em formato digital multi-espectral para sua interpretação visual e assistida por computador com vista à produção de cartografia temática da ocupação do solo. Transmitir aos alunos capacidade para interpretar e realizar estudos diversos de aplicação em cartas topográficas. Dar a conhecer a cartografia nacional e os sistemas de projecção cartográfica e de referenciação utilizados. Habilitar o aluno com capacidades de análise, manipulação e tratamento da informação cartográfica em suporte digital e de integração e análise de informação geoespacial.

    Conteúdo programático
    Fundamentos de detecção remota. Tipos de sensores e plataformas de observação da Terra. Interpretação visual de imagens. Processamento digital de imagens – técnicas de pré-processamento, técnicas de manipulação de imagem e técnicas de classificação de imagem para produção de cartografia temática. Representação do terreno; altimetria e planimetria. Leitura e utilização de cartas; medição de distâncias, medição de áreas, traçado de perfis, cálculo de volumes. Sistemas de referenciação geodésica, sistemas de projecção cartográfica e direcções de referência. Cartografia nacional. Actualização da informação cartográfica; sistema de posicionamento global e  detecção remota. Cartografia digital; entrada e tratamento da informação cartográfica georeferenciação e transformação de coordenadas. Representação digital da altimetria. 

     

    Ecologia

    Objectivo
    Os conceitos de ecologia são essenciais visto que a gestão dos recursos naturais e o ordenamento dos espaços naturais implica o conhecimento das relações ecológicas entre os seres vivos e destes com o meio abiótico. A abordagem integradora e globalizante da ciência ecológica permite compreender a extrema complexidade da biosfera e o papel do Homem como elemento ecológico. A compreensão dos mecanismos de índole ecológica que regulam os ecossistemas é essencial para que a utilização humana da biosfera seja realizada em moldes racionais, assegurando, assim, a sustentabilidade dos recursos.

    Conteúdo programático 
    Introdução à ecologia. Factores abióticos. Dinâmica das populações. A comunidade biótica. Relações inter-específicas. Fluxos de matéria e energia nos ecossistemas. Ecossistemas aquáticos. Ecossistemas terrestres e biogeografia.

     

    Matemática

    Objectivos
    Pretende-se que a disciplina de Matemática proporcione uma abertura ao raciocínio matemático e constitua também uma ferramenta de trabalho para a resolução de problemas. Compreensão dos conceitos fundamentais do cálculo diferencial e integral em R. Compreensão de conceitos fundamentais relacionados com séries numéricas e de potências.

    Conteúdo programático
    Cálculo diferencial. Definição de derivada e interpretação geométrica. Derivabilidade e continuidade. Funções diferenciáveis. Noção de diferencial. Teoremas de Rolle, Lagrange e Cauchy. Derivada de ordem n.  Estudo da variação de uma função. Máximos e mínimos. Pontos de inflexão. Sentido das concavidades. Séries numéricas. Convergência: séries absolutamente e simplesmente convergentes. Propriedades gerais. Critérios de Cauchy e de D'Alembert  Séries de termos não negativos. Séries de termos sem sinal fixo. Séries de potências. séries alternadas, critério de Leibniz . Cálculo integral em R. Noção de integral de Riemann. Integral indefinido. Métodos gerais de primitivação: decomposição, partes, substituição e por fracções racionais. Integral definido. Integral indefinido. Aplicação do conceito de integral ao cálculo de áreas de superfícies planas. Integrais múltiplos. Equações diferenciais. Definição. Teorema de Cauchy. Métodos de resolução para alguns tipos de equações diferenciais. Resolução de problemas. Exemplos aplicados à agricultura.
     

     Química

    Objectivos
    Ensinar as fórmulas estruturais, a nomenclatura e as propriedades físicas e químicas das principais famílias de compostos orgânicos. Ensinar também as fórmulas estruturais e as propriedades físicas das principais biomoléculas.

    Conteúdo programático
    Noções gerais sobre estrutura e propriedades físicas dos compostos orgânicos e algumas reacções químicas. Fundamentos de estereoquímica. Estudo das fórmulas estruturais, propriedades físico-químicas e funções das seguintes biomoléculas: aminoácidos, peptídeos, proteínas, enzimas, glúcidos e lipídeos.
     

     Recursos Geológicos

    Objectivos
    Esta disciplina tem por principal objectivo o estudo dos recursos geológicos, no que se refere à sua génese, diversidade e distribuição. Para tal consideram-se os principais processos dinamizadores da crosta terrestre e sua influência na superfície da Terra. Pretende-se, ainda, destacar a problemática da interacção Homem-Ambiente no que se refere à utilização e exploração dos recursos geológicos e principais consequências no ambiente natural.

    Conteúdo programático
    Noções gerais de geologia e recursos geológicos. Principais alterações globais e seus efeitos à superfície. Processos geológicos internos e externos e efeitos no meio ambiente. Classificação das rochas quanto à origem, principais tipos e mecanismos de formação. Os recursos geológicos e o ambiente: identificação, exploração e preservação. Principais impactes ambientais associados à utilização e exploração dos recursos geológicos.
     

    Álgebra

    Objectivos
    Pretende-se com esta disciplina introduzir os alunos na ciência da álgebra linear, motivando-os para as rotinas de cálculo numérico com auxílio do cálculo matricial. Com o decorrer do tempo, esta disciplina proporciona uma abertura ao raciocínio matemático e constitui uma ferramenta de trabalho para a resolução de problemas de outras áreas. Amadurecimento da formação matemática.

    Conteúdo programático
    Espaços vectoriais. Definição e propriedades. Subespaços vectoriais. Combinação linear de vectores. Dependência e independência linear. Componentes de um vector. Mudança de base. Produto interno. Produto externo. Transformações lineares. Matrizes. Cálculo matricial. Operações com matrizes. Matriz inversa. Transposição. Determinante de uma matriz. Matriz adjunta. Inversão de matrizes. Matrizes simétricas e hermitianas. Característica de uma matriz.  Sistemas de equações lineares. Transformações vectoriais e lineares. Matriz de uma transformação linear. Inversão de uma transformação linear. Transformações multilineares. Permutações e símbolo de permutação. Funções multilineares simétricas e antissimétricas. Valores próprios e vectores próprios. Matrizes de mudança de base. Representação de um vector em bases diferentes. Matrizes semelhantes. Valores próprios e vectores próprios. Diagonalização de matrizes. Introdução à programação linear. Problema de programação linear. Geometria da programação linear. Método do simplex. Soluções degeneradas e convergência do simplex.

    Bioestatística

    Objectivos
    Sensibilizar os alunos para as noções e modelos probabilísticos que constituem as bases de inferência estatística e da modelação matemática. Abordagem dos principais conceitos e métodos necessários à sumarização e interpretação de dados. Noções das teorias de inferência e decisão estatística. Modelos de análise de variância e regressão linear. Utilização de ferramentas de estatística computacional.

    Conteúdo programático
    Estatística descritiva e análise exploratória dos dados; Teoria Elementar das Probabilidades. Funções de distribuição de probabilidades. Principais distribuições discretas e contínuas; função de distribuição Normal. Inferência estatística. Testes de ajustamento; testes para a média de uma amostra; testes de comparação das médias de duas amostras; tabelas de contingência. Análise de variância. Modelos de efeitos fixos com um e vários factores; testes de comparações múltiplas. Regressão e correlação. Método dos mínimos quadrados e modelo linear generalizado; análise da precisão da equação. Conceitos de estatística multi-variada: análise descriminante, análise de clusters; análise factorial.
     

    Botânica

    Objectivos
    Aquisição de conhecimentos sobre os aspectos fundamentais da caracterização dos Espermatófitos sob o ponto de vista morfológico e  histo-anatómico. Identificação de espécies das principais famílias de plantas da flora de Portugal. Distribuição das plantas em termos fitossociológicos e fitogeográficos e caracterização das principais comunidades vegetais de Portugal. Pretende-se conferir competências a nível da compreensão dos objectivos e das metodologias respeitantes ao aprofundamento de matérias leccionadas em disciplinas seguintes.
    Conteúdo programático
    Sequência evolutiva das plantas (caracterização de gimnospérmicas e de angiospérmicas). Estudo da morfologia externa dos Espermatófitos (caracterização dos vários orgãos vegetais). Sistemática vegetal (sistemas de classificação e principais taxa, estudo das principais famílias e identificação de espécies. Dendrologia. Estudo histo-anatómico dos Espermatófitos. Fitogeografia e fitossociologia (reinos florísticos, principais espécies e comunidades de Portugal).

     

    Inglês

    Objectivos
    Os objectivos do programa da disciplina de Inglês têm em consideração a heterogeneidade de conhecimentos da língua inglesa que os alunos colocados na ESACB têm revelado (o que obriga a uma reciclagem dos conhecimentos previamente adquiridos) e a resposta às necessidades concretas exigidas pelo futuro contexto profissional em que estes alunos poderão vir a trabalhar. A disciplina de Inglês é, assim, orientada para fins específicos e procura ir de encontro às necessidade concretas dos alunos do curso, desenvolvendo a capacidade interpretativa de textos e de outros registos escritos relacionados com a área temática do curso e a capacidade de produção escrita.

    Conteúdo programático
    Utilização de dicionários monolingues e bilingues e on-line. Estudo contextualizado das principais categorias gramaticais. Sistematização dos principais tempos verbais (simple present, present continuous, simple past, present perfect, past continuous, past perfect, expressing the future, conditional). Alguns aspectos estruturais da Língua Inglesa (passive voice, collocations). Vocabulário específico e académico. Actividades de escrita (filling in an application form, writing a curriculum vitae, writing a report, email and formal letter writing). Leitura e interpretação de extractos de livros e de artigos, resumos e catálogos.
     

    Métodos Instrumentais de Análise

    Objectivos
    Estudo dos fundamentos e aplicações de alguns métodos instrumentais de análise espectroscópica e cromatográfica.

    Conteúdo programático 
    Interacção radiação-matéria. Leis fundamentais da fotometria. A cor dos objectos e o diagrama de cromaticidade. Separação por eluição de componentes em misturas. Detecção de iões e moléculas em fase gasosa e em fase líquida. Determinação da cor de sólidos e soluções. Instrumentação e preparação de amostras em espectroscopia UV/VIS, espectroscopia de absorção atómica, cromatografia gasosa, cromatografia líquida de alta eficiência; interpretação de espectros e de cromatogramas. Determinação de metais pesados, componentes tensioactivos, fenóis, tocoferóis, e pigmentos e em águas de abastecimento e em alimentos.   
    Solos

    Objectivos
    Habilitar os alunos a efectuar uma avaliação do solo como recurso natural, fonte de biodiversidade e base dos ecossistemas naturais. Reconhecer as suas propriedades físicas e químicas numa perspectiva ambiental.

    Conteúdo programático
    Conceito de solo, o solo como recurso natural, elemento da paisagem e base dos ecossistemas terrestres. Constituição e caracterização geral do solo; Propriedades físicas e químicas do solo. Acções antropogénicas sobre a qualidade do solo. Classificação do solo, diversidade edáfica em Portugal e interpretação das cartas de uso do solo.
     

    Zoologia

    Objectivos
    Pretende-se com esta disciplina dar uma perspectiva geral da zoologia a nível dos principais grupos taxonómicos existentes e das suas características morfológicas, fisiológicas e ecológicas. Será dado ênfase aos animais continentais (terrestres e dulciaquícolas). É efectuada uma breve caracterização das categorias taxonómicas até ao nível da ordem em Artrópodes e Cordados, nomeadamente para aquelas em que ocorrem espécies em Portugal. Nas aulas práticas os alunos irão contactar com animais vivos, procedendo à observação das características representativas dos grupos sistemáticos em que se inserem, sendo realizada a sua identificação até ao nível taxonómico da família ou da espécie.

    Conteúdo programático
    Sistemática, nomenclatura e taxonomia. Classificação e identificação. Chaves dicotómicas, guias de identificação e atlas de distribuição. Animais diblásticos e triblásticos; protostómios e deuterostómios; acelomados, pseudocelomados e celomados. Porifera. Cnidaria: Hydrozoa, Scyphozoa, Anthozoa. Platyhelminthes: Turbelaria, Trematoda, Cestoda. Nematoda. Annellida: Polychaeta, Oligochaeta, Hirudinea. Mollusca: Polyplacophora, Monoplacophora, Scaphopoda, Gastropoda, Bivalvia, Cephalopoda. Arthropoda: Crustacea (Branchiopoda, Ostracoda, Copepoda, Brachiura, Cirripeda, Malacostracea), Insecta (Collembola, Diplura, Thysanura, Ephemeroptera, Odonata, Plecoptera, Orthoptera, Dictioptera, Phasmida, Isoptera, Dermaptera, Hemiptera, Mallophaga, Anoplura, Siphonaptera, Neuroptera, Mecoptera, Lepidoptera, Trichoptera, Diptera, Hymenoptera, Coleoptera), Chilopoda, Diplopoda, Arachnida (Araneae, Scorpionida, Acarina, Opiliones, Solifugae), Merostomata, Pycnogonida. Chordata: Myxinoidea, Cyclostomata, Chondrichthyes, Osteichthyes (Actinopterygii, Sarcopterygii), Amphibia (Apoda, Urodela, Anura), Reptilia (Chelonia, Squamata), Aves (Procellariiformes, Pelecaniformes, Ciconiiformes, Phoenicopteriformes, Anseriformes, Accipitriformes, Falconiformes, Galliformes, Gruiformes, Charadriiformes, Columbiformes, Strigiformes, Passeriformes), Mammalia (Insectivora, Chiroptera, Lagomorpha, Rodentia, Carnivora, Pinnipedia, Artiodactyla, Cetacea). 

     
    Conservação da Natureza

    Objectivos
    O uso sustentado dos recursos de forma a garantir a perenidade da sua utilização é hoje um conceito imprescindível para a correcta gestão do meio ambiente e dos recursos de que o Homem depende. Nesse sentido, a Conservação deve ser entendida como um elemento que valoriza os espaços e elementos naturais, não sendo, como muitas vezes é entendido, um travão ao desenvolvimento. Efectivamente, o desenvolvimento tem que ser efectuado sem comprometer o uso múltiplo da Natureza, nem realizar uma exploração dos recursos que esgote ou comprometa no futuro a sua utilização por parte do Homem. É, além disso, fundamental que a relação que o Homem estabelece com a biosfera seja pautada por princípios éticos de respeito pelas outras espécies. Neste contexto, o objectivo desta disciplina é o de transmitir os principais conceitos relacionados com a conservação da Natureza e com o desenvolvimento sustentável. São também abordados os principais problemas da conservação em Portugal e no mundo, dando uma ênfase especial às metodologias de valorização e gestão sustentada do meio ambiente e dos recursos naturais.

    Conteúdo programático
    Introdução à conservação da Natureza. Principais problemas da conservação a nível global. Estratégias de conservação da Natureza. A conservação da Natureza em Portugal. Apresentação e discussão de problemas concretos de conservação da Natureza.
     

      Economia Ambiental e dos Recursos Naturais

    Objectivos
    Identificar e sistematizar os conceitos de Economia Ambiental e dos Recursos Naturais. Enunciar as noções básicas de microeconomia e sua relação com a economia ambiental. Identificar e descrever os diversos instrumentos políticos de regulação ambiental. Conhecer os principais instrumentos económicos para a avaliação de bens e danos ambientais, e a forma como podem ser utilizados nos processos de tomada de decisão. Discutir a forma como são aplicados os conceitos de Economia Ambiental e dos Recursos Naturais aos casos particulares da conservação, poluição e exploração de recursos naturais. Relacionar a tomada de decisões com diferentes pontos de vista sobre o desenvolvimento sustentável.

    Conteúdo programático
    A economia e o Ambiente. Funcionamento dos mercados. Produtor. Consumidor. Oferta e procura. Instrumentos e de política de ambiente. Valor e ética ambiental. O Ambiente como capital: a valorização ambiental. Processo de tomada de decisão. Exploração de recursos naturais: aplicações práticas. Modelo geral de exploração de um recursos renovável. Modelo de Gordon e modelo de Faustman. Poluição e resíduos: aplicações práticas.
     

      Hidrologia

    Objectivos
    Familiarizar os alunos com os conceitos básicos da hidrologia, realçando o papel fulcral que a água e o ciclo hidrológico desempenham na biosfera. Estudar os processos hidrológicos relacionados com a ocorrência, a distribuição e o movimento da água na Terra, quer ao nível global (ciclo hidrológico), quer ao nível mais limitado de parcelas dos continentes (balanço hidrológico), procurando, em especial, enquadrar este estudo ao nível da bacia hidrográfica. Sistematizar estes conhecimentos numa perspectiva de compreensão das relações que se estabelecem entre a dinâmica e o armazenamento da água ao nível das bacias em áreas rurais ou naturais e as características da ocupação do solo nessas áreas. Facultar capacidades básicas de intervenção ao nível de estudos de avaliação, caracterização e monitorização das condições hidrológicas em bacias hidrográficas e cursos de água tendo em vista, por exemplo, a implementação de planos de ordenamento e gestão ou a realização de trabalhos de recuperação de cursos de água degradados. Enquadrar os assuntos e temas abordados numa perspectiva de gestão racional e sustentada do uso do solo e da água.
    Conteúdo programático
    Introdução à Hidrologia. Conceitos gerais. Caracterização geral de bacias hidrográficas e cursos de água. Os processos hidrológicos. Precipitação. A água no solo e a água subterrânea. Evapotranspiração. Escoamento. Caracterização do regime de escoamento. Caracterização do estado de um curso de água. Introdução à avaliação das condições de um curso de água. A saúde dos rios – aspectos físico-químicos e hidrológicos. Sistemas de classificação dos cursos de água. Caudais ecológicos. Recuperação de cursos de água.

     

      Microbiologia

    Objectivos
    Conhecimentos gerais sobre os microrganismos e fisiologia microbiana. Manuseamento de técnicas microbiológicas. Interpretação de análises microbiológicas. Conhecimentos dos riscos microbiológicos associados à qualidade alimentar e ambiental. Noções de imunologia.

    Conteúdo programático
    Introdução ao estudo da microbiologia. Classificação e evolução. Morfologia bacteriana. Reprodução de bactérias. Factores que influenciam o crescimento, multiplicação e morte de microrganismos. Controlo microbiano. Toxinas de origem microbiana. Aspectos gerais de Micologia. Aspectos gerais de Virologia. Métodos microbiológicos rápidos. Microbiologia da água e do solo. Exame ao microscópio óptico. Métodos e técnicas microbiológicas. Meios de cultura. Observação de provas bioquímicas para identificação de Salmonella sp., Escherichia coli ou outros microrganismos. Titulação de uma suspensão bacteriana. Observação de fungos. Análise microbiológica a uma amostra de água e de solo. Antibiogramas e testes de sensibilidade a antisépticos e desinfectantes. Noções de Imunologia: anticorpos e antigénios.
     

      Poluição

    Objectivos
    Pretende-se que os alunos fiquem habilitados a identificar as principais fontes de poluição dos sistemas ar, água e solo; a estabelecer acções de minimização da poluição e a efectuar um planeamento de controlo / monitorização de áreas poluídas. Deverão, ainda, conhecer a legislação nacional e comunitária sobre esta matéria, bem como, as acções em curso de diversos organismos Nacionais e Internacionais.

    Conteúdo programático
    Poluição e contaminação. Principais tipos de poluentes e seus efeitos no meio ambiente. Poluição atmosférica – principais fontes de poluição atmosférica, tipo de poluentes, comportamento e evolução no meio ambiente. Avaliação e Monitorização da qualidade do ar. Poluição da água – principais origens e efeitos. Poluentes das águas – identificação, características e comportamento no meio ambiente. Indicadores de poluição da água. Poluição do solo: origem dos principais poluentes, sua caracterização e comportamento. Principais processos de tratamento dos solos: físicos, químicos e biológicos. Índices de quantificação de poluentes e seu significado ambiental. Normas Portuguesas e Comunitárias relativas a qualidade e poluição do ar, da água e do solo. Situação actual em Portugal.
     

      Recursos Energéticos 

    Objectivos

    Dotar os alunos de capacidade de compreensão da temática da energia dando um maior destaque às energias renováveis e novas tecnologias energéticas, nomeadamente quanto à sua utilização integrada na sociedade portuguesa. Dotar os alunos de capacidade de análise dos principais equipamentos utilizados no aproveitamento das fontes energéticas renováveis.

    Conteúdo programático
    Recursos Energéticos. Introdução ao tema da energia. A crise de energia. Consumo de energia. Desequilíbrio entre  reservas e produção. Desigualdades dos consumos de energia. Consumos de energia e crescimento económico.  Energia. Breve análise do domínio da sua transformação. Caracterização. Tipos e fontes de energia. Unidades. Aquecimento global. O efeito de estufa. Principais gases de estufa e evolução das emissões antropogénicas. Comparação de emissões a nível mundial. Evolução futura do clima: possíveis cenários. Impactes das alterações climáticas. Política energética. Contexto internacional/europeu. Situação  energética  portuguesa. Caracterização de consumos. Objectivos da política energética nacional. Fontes de energia fósseis/convencionais (características, utilizações e respectivos aspectos positivos e negativos). Carvão. Petróleo. Gás natural. Nuclear (fissão e fusão). Fontes de energia renováveis (caracterização das diversas fontes, tecnologias aplicadas na sua valorização, actuais e em desenvolvimento, tecnologias em aplicação comercial, equipamentos para produção de energia). Energia geotérmica de alta e baixa entalpia. Mini e micro hídricas. Energia das marés. Energia das ondas. Energia eólica. Biomassa. Energia solar (térmica, fotovoltaica e passiva). Utilização racional de energia (caracterização, tecnologias em aplicação comercial, valorização de recursos e respectivas opções de utilização). Eficiência energética em edifícios. Eficiência energética nos transportes. Cogeração/trigeração e “district heating”. Iluminação pública. Programas comunitários. Legislação; projectos; financiamentos.   
     

      Sistemas de Informação Geográfica

    Objectivos
    Transmitir aos alunos conhecimentos de Sistemas de Informação Geográfica (SIG), para produção, actualização e análise de dados geográficos em formatos vectorial e raster. Desenvolvimento de projectos de ambiente de SIG.
    Conteúdo programático
    Características gerais dos dados geográficos, sistemas de referenciação, fontes de dados geográficos. Visualização de dados: interface e funções para criação de legenda. classificação e aplicação de rótulos. Análise e selecção de dados. Elementos e atributos dos dados espaciais, formatos de dados e metadados. Tabelas: estrutura de tabelas, tipos de atributos, manipulação de tabelas, relações entre tabelas, e produção de relatórios. Entrada de dados num SIG: vectorização, rasterização, conversão de dados e fontes de aquisição de informação geográfica. Edição de dados vectoriais: ferramentas para edição de níveis de informação, funções de edição e actualização de atributos. Qualidade da informação geográfica: erro, precisão e incerteza em sistemas de informação geográfica. Normalização da informação geográfica. Elementos descritores da qualidade da informação geográfica. Ferramentas e padrões para criação de metadados. Dados georreferenciados: sistemas de coordenadas, projecções e distorções, projecção de dados. Apresentação de dados: criação de mapas e impressão. Análise e gestão de dados vectoriais: funções de geoprocessamento, extracção de elementos para análise, métodos e ferramentas de conversão, limpeza e generalização de dados. Análise e gestão de dados raster: funções locais, funções focais, funções globais e funções de interpolação. Modelos digitais do terreno (3D): modelos TIN e Raster.

     

      Ecologia e Conservação de Vertebrados

    Objectivos
    Os Vertebrados são o grupo taxonómico que apresenta maiores problemas de conservação, sendo, em simultâneo, um dos mais importantes como fonte de recursos naturais para o Homem. São, por isso, objecto de programas de investigação e de gestão que implicam um conhecimento profundo dos seus requisitos ecológicos. Nesta disciplina pretende-se efectuar uma caracterização ecológica dos diversos grupos de vertebrados, dando uma ênfase particular às espécies que ocorrem no nosso país e que são consideradas ameaçadas. Serão apresentadas as metodologias de estudo da sua ecologia bem como as medidas de conservação e o enquadramento actual da sua situação em Portugal.

    Conteúdo programático
    Importância ecológica, sócio-económica e cultural dos Vertebrados. Características ecológicas de Ciclóstomos, Osteictes, Anfíbios, Répteis, Aves e Mamíferos. Métodos de estudo da ecologia de Vertebrados: censos, capturas e marcação. Famílias e espécies de Vertebrados que ocorrem em Portugal e identificação das espécies prioritárias. Factores de ameaça e medidas de conservação. Critérios de valorização das espécies e estatutos de conservação. Programas de conservação e enquadramento legal.

     

      Flora e Vegetação


    Objectivo
    Dotar os alunos de competências na identificação da flora e das principais comunidades vegetais de Portugal. Conhecimentos de flora de Portugal indispensáveis ao estudos de impacte ambiental e ao ordenamento e gestão dos recursos florísticos naturais. Entender a fitogeografia de Portugal e a principais razões ecológicas da distribuição das plantas.

    Conteúdo programático
    Estudo das principais famílias botânicas de Portugal. Identificação das principais espécies da flora portuguesa. Bioclimatologia e fitogeografia. Fitossociologia e o método fitossociológico de inventário de plantas. Principais comunidades vegetais em Portugal. Realização de um inventário florístico. Plantas endémicas de Portugal e plantas ameaçadas. Visitas a áreas protegidas. 

     

      Gestão e Certificação Ambientais

    Objectivos
    Dotar os alunos das seguintes aptidões. Identificar e sistematizar os conceitos fundamentais de gestão ambiental. Conhecer os principais diplomas legais ambientais e aplicá-los a um caso estudo concreto. Conceber e implementar sistemas de gestão ambiental de acordo com a norma ISO 14001 e regulamento EMAS. Conhecer as principais ferramentas de gestão ambiental, incluindo as de monitorização do desempenho ambiental. Compilar um registo de aspectos e impactes ambientais significativos. Estabelecer objectivos e metas ambientais para um caso estudo concreto. Recolher e interpretar informação ambiental nas organizações. Descrever e usar vários tipos e técnicas de auditoria para avaliar projectos, sistemas e actividades, e identificar oportunidades para melhorias ambientais.

    Conteúdo programático
    Política do Ambiente: Responsabilidade ambiental partilhada, princípios e instrumentos de política do ambiente. O Ambiente e as organizações: evolução das estratégias ambientais das organizações, ferramentas de gestão ambiental. Legislação: conceitos de poluição, dano e crime ambiental e principais diplomas ambientais em Portugal. Declarações e códigos de conduta. Normalização, acreditação e certificação: processos e metodologias, normas da família ISO 14000, Regulamento Comunitário EMAS e outras normas. Sistemas de gestão ambiental: aspectos ambientais das actividades organizacionais, avaliação de impactos ambientais significativos, fases da implementação de um SGA. Avaliação e verificação: indicadores e índices, análise e tratamento de dados, metrologia. Técnicas de prevenção da poluição e produção limpa: gestão estratégica e metas de gestão ambiental. Auditorias: normas, requisitos e princípios de auditoria, tipos e técnicas de auditoria. Eco-eficiência: análise do ciclo de vida, marketing ambiental e rótulos ecológicos. Avaliação e comunicação da sustentabilidade: normas da série ISO 14030, metodologia SAM - Dow Jones Sustainability Group Índex, benchmarking ambiental.
     

      Parques e Jardins

    Objectivos
    Com esta disciplina pretende-se que o técnico fique com uma formação de engenheiro-paisagista, pronto a tratar de problemas de concepção, realização e gestão de espaços verdes destinados a parques e jardins urbanos.

    Conteúdo programático
    Espaços verdes urbanos. Principais tipos de jardins, abordagem histórica e influência para os jardins actuais. Estudo dos elementos decorativos de jardins (elementos inertes, em movimento e verdes). Elementos verdes destacando o conhecimento de espécies de arbustos, árvores, maciços florais e revestimentos herbáceos. Desenvolvimento das suas características em termos de plantação, manutenção e utilização. Análise e interpretação de alguns projectos de jardins. Legislação  e a sua aplicabilidade em espaços verdes urbanos. Visitas técnicas aos diferentes parques e jardins mais representativos do nosso país.
     

      Recursos Agrícolas e Zootécnicos

    Objectivos
    Consciencializar os alunos dos seguintes aspectos: o ambiente, nas suas diversas vertentes, condiciona a produção agrícola no tocante à escolha de culturas e produtividades obtidas; os recursos utilizados em agricultura, nomeadamente o solo e as plantas, devem ser encarados como bens que recebemos e devemos explorar de forma sustentável, assegurando a continuidade do seu potencial produtivo; existe um grande grupo de culturas – as culturas arvenses – com um enorme peso a nível mundial e nacional na produção de alimentos e outros tipos de produtos. Relativamente à componente dos Recursos Zootécnicos pretende-se proporcionar competências  globalizantes na área da produção animal, espécies exploradas e principais produtos obtidos e sua relevância como fornecedores de proteína de alto valor biológico à alimentação humana. A abordagem é realizada na perspectiva da gestão destes recursos, sua importância produtiva e ambiental.
    Conteúdo programático
    Definições de agricultura. O ambiente e a produção agrícola: factores climáticos, edáficos e bióticos; culturas arvenses: definição, classificação segundo vários critérios, comparação com outras fitotecnias, importância a nível mundial e nacional; balança comercial portuguesa. Principais operações gerais de cultivo: mobilização e fertilização do solo, sementeiras, manutenção das culturas e colheita. Identificação das principais espécies de interesse zootécnico e produtos de origem animal. Noções gerais de etologia e bem estar animal. Anatomia e fisiologia da digestão, com ênfase nas espécies ruminantes. Sistemas de produção (eficiência biológica, económica e energética). Sistemas de produção animal.

     


      Recursos Florestais

    Objectivos
    Desenvolver competências quanto à identificação e caracterização dos recursos florestais e sobre a utilização das principais técnicas associadas à instalação, condução e exploração na perspectiva da sua gestão sustentável. Proporcionar formação sobre os problemas associados à protecção da floresta contra agentes nocivos bióticos e abióticos. Transmitir alguns conhecimentos sobre as técnicas de inventariação e monitorização dos recursos florestais.

    Conteúdo programático
    Caracterização da floresta portuguesa. Multifuncionalidade e sustentabilidade das áreas florestais Principais espécies de interesse florestal. Produção de plantas. Arborização. Sistemas de produção florestal. Técnicas de intervenção produtiva. Principais fileiras produtivas. Recursos florestais não lenhosos. Principais problemas associados ao declínio da floresta mediterrânica. Incêndios florestais - gestão da vegetação arbustiva, técnica do fogo controlado. Protecção da floresta contra agentes bióticos nocivos. Gestão integrada de pragas e doenças. Inventariação e monitorização dos recursos florestais.

     


      Tratamento de Águas de Abastecimento Residuais

    Objectivos
    Nesta disciplina tem-se como principal objectivo a abordagem integrada da problemática do saneamento básico, tentando fornecer um conjunto de conhecimentos que permitam entender o funcionamento e objectivos de um conjunto de operações e processos unitários de tratamento, quer das águas de abastecimento público quer das águas residuais, procurando apresentar e discutir metodologias que permitam a adopção das soluções mais adequadas face às exigências legislativas e à nova consciência de qualidade ambiental e sempre no respeito pelo princípio do desenvolvimento sustentável. Com esta disciplina procurar-se-á dotar o aluno de competências na área da avaliação da qualidade de uma água de abastecimento e de uma água residual e na elaboração de planos de amostragem inerentes ao controlo de qualidade de águas de abastecimento e ao funcionamento de ETA’s e de ETAR’s. Pretende-se igualmente dotar o aluno de competências na área das operações e processos inerentes ao tratamento de águas e de águas residuais.


    Conteúdo Programático
    Problemática do saneamento básico, ao nível dos sistemas de abastecimento de água e de águas residuais. Usos da água e critérios de qualidade. Padrões de qualidade segundo os diferentes usos. Aspectos legais. Caracterização da qualidade das águas naturais. Caracterização quantitativa e qualitativa das águas residuais. Operações unitárias envolvidas no tratamento de águas para abastecimento público e de águas residuais. Esquemas - tipo de tratamento em função da natureza e qualidade da água e grau de tratamento exigido. Indicadores de eficiência dos tecnossistemas de águas de abastecimento e de águas residuais. 
     



      Direito e Legislação Ambiental

    Objectivos
    Aquisição de noções básicas de Direito e do sistema  judiciário. Compreensão e aquisição dos fundamentos teóricos do Direito do Ambiente. Conhecimento e compreensão do edifício legislativo fundamental em matéria ambiental. Conhecimento da jurisprudência ambiental. Aplicação prática dos conhecimentos teóricos, através da resolução de casos práticos.

    Conteúdo programático
    Introdução ao Direito. A realidade social como realidade historicamente "instituída". O Direito como realidade social. Noção geral de Direito. Noção geral de Estado. Linhas estruturais do sistema jurídico. Fontes de Direito e vigência das normas. A aplicação da lei no espaço e no tempo. A constituição e o Direito do Ambiente. As pré-compreensões do Direito do Ambiente. O Direito do Ambiente: conceito e objecto. Finalismo, horizontalidade e interacção. A problemática ambiental como valor que o Direito é chamado a consagrar e proteger. O Ambiente como novo bem jurídico. Estrutura e princípios do texto constitucional. A "Constituição e o Ambiente". A Lei de Bases do Ambiente. A arquitectura geral da lei. Princípios fundamentais do Direito do Ambiente. Conceitos e objectivos. O conceito de dano ambiental. Os componentes ambientais naturais. O acesso à justiça em matéria de Ambiente. A protecção jurisdicional dos interesses difusos. Legitimidade processual. A Lei das Associações de Defesa do Ambiente. A Acção Popular e o acesso colectivo à Justiça. Participação dos cidadãos. Direito à informação. Intervenção das associações de defesa do ambiente. Concertação. Direito comunitário e internacional do Ambiente. A Europa e a protecção do Ambiente. A protecção do ambiente como objectivo essencial da União Europeia. A acção da comunidade em matéria de Ambiente após o Acto Único europeu. As evoluções dos tratados de Mastrich e Amesterdão. A importância nacional do Direito do Ambiente. O novos problemas que o Ambiente trouxe ao direito internacional. Responsabilidade civil por danos ecológicos. Conceito e formas de responsabilidade. A problemática da indemnização dos danos ecológicos. As tentativas de adaptação das estruturas de imputação de danos jurídico-civis à problemática ambiental. A reparação do dano ecológico através da restauração natural / compensação. O dano ecológico no contencioso administrativo. Noções e conceitos. A competência do contencioso administrativo. Características do contencioso administrativo. O Direito penal do Ambiente. A lesão do Ambiente como crime - justificação da tutela penal. Fontes e conteúdo. O crime de poluição. O crime de danos contra a Natureza. A norma penal em branco. O Direito de mera ordenação social. Origem e evolução do Direito de mera ordenação social. A autonomia do Direito de mera ordenação social. O Ambiente como uma das áreas destinatárias por excelência do Direito de mera ordenação social. A eficácia do Direito de mera ordenação social na protecção do Ambiente. A função preventiva.

     

      Sociologia e Educação Ambiental

    Objectivos
    Transmitir aspectos de teóricos e instrumentais relativos às práticas didácticas para que a educação ambiental cumpra o seu objectivo de transmissão de conhecimentos e valores relativos ao uso sustentado dos recursos naturais e ambiente. Nesse contexto, porque explica alguns dos comportamentos perante o ambiente e os recursos naturais, é também feita uma introdução a alguns conceitos no domínio da sociologia ambiental. A elaboração de trabalhos exemplifica processos e meios de actuação.

    Conteúdo programático
    Introdução à sociologia ambiental. Problemática. Metodologias de investigação em sociologia. Sociologia aplicada ao ambiente. Sociedade e ambiente.  Problemas mundiais. Relações humanas com o meio. Perspectivas sobre ciência e saber. Ética e ecologia. Educação ambiental. Perspectivas sobre o ensino-aprendizagem. Perspectivas institucionais sobre educação ambiental.  Objectivos. Princípios de actuação. Ecoturismo como instrumento de educação ambiental. Metodologia. A educação ambiental no sistema educativo. Experiências, avanços e desafios da educação ambiental. Programas e projectos de educação ambiental. Modelos de programas e projectos de educação ambiental. Planeamento. Avaliação. Projecto de educação ambiental num equipamento. Projecto de educação ambiental na cidade.  Experiências, avanços e desafios da educação ambiental.

     


      Efeitos Ambientais dos Sistemas Agro-Florestais

    Objectivos
    Desenvolver a capacidade de identificar e avaliar os efeitos ambientais dos agro-sistemas, com particular destaque para o solo, vegetação e processos hidrológicos.

    Conteúdo programático
    Evolução da Agricultura e relações internacionais. O efeito ao nível local nos agrossistemas. Efeitos agro-ambientais da fertilização do solo. O fósforo no solo: importância agronómica e ambiental. O efeito das práticas culturais e da exploração sobre as propriedades dos solos. ecotoxicologia. Efeito do pastoreio sobre solos e vegetação. Interacção com os processos hidrológicos ao nível local/regional. Fundamentos  biofísicos da interacção entre os sistemas agro-florestais e os processos hidrológicos. Recursos hídricos disponíveis e balanço hidrológico local. A influência do coberto vegetal sobre as diversas componentes do balanço hidrológico. O papel das técnicas de instalação, condução e exploração das culturas. As relações entre o coberto vegetal, os processos hidrológicos e os processos erosivos – uma abordagem integradora. Os fluxos de carbono nos sistemas agroflorestais, no quadro do aumento da pressão parcial de CO2 da atmosfera.

     

      Gestão de Empresas e Organizações  

    Objectivos
    São objectivos gerais proporcionar aos alunos os conceitos fundamentais da gestão e das tarefas subjacentes: planeamento, organização e controlo, tanto na óptica das organizações de carácter empresarial como não empresarial. Pretende-se também dotar os alunos de conhecimentos relativos à gestão financeira e dos recursos humanos que normalmente se colocam no tipo de organizações em causa e ainda fomentar nos alunos a capacidade de análise crítica e de intervenção nas mais diversas formas de organização nomeadamente em torno das problemáticas entre a gestão e  o ordenamento dos recurso naturais e ambiente.

    Conteúdo Programático
    As organizações económicas e não económicas: diferenças, componentes, recursos, objectivos e classificação. As organizações e o seu ambiente: ambiente interno, ambiente externo (contextual e macro-ambiente) e transnacional. As organizações como um sistema aberto. A mudança nas organizações, sua relação com o ambiente. O planeamento e o processo de tomada de decisão. A gestão da informação e a redução da incerteza na tomada de decisão. Processo e técnicas de controlo: objectivos e momentos. Os processos e estruturas organizativas. A direcção: motivação, liderança e comunicação nas organizações. Elementos de gestão de recursos humanos (recrutamento, selecção, acompanhamento e desenvolvimento). A gestão estratégica e administrativa de recursos humanos. A gestão das relações da organização com o meio ambiente (natureza). Algumas ferramentas ao dispor das organizações. Elementos de gestão financeira: fluxos financeiros, documentos financeiros e sua análise.
     

      Gestão de Resíduos Sólidos

    Objectivos
    A gestão de resíduos sólidos está hoje no topo da agenda ambiental da maioria dos países e é reconhecida e encarada como uma questão com importantes implicações ao nível global. A este facto, não é alheia a crescente produção de resíduos sólidos e o seu tratamento e deposição inadequados, os quais representam uma ameaça grave para a qualidade do ar, do solo e da água superficial e subterrânea. Impõe-se assim como indispensável uma estratégia de prevenção, redução, reciclagem e destino final apropriados. Nesta disciplina tem-se como principal objectivo a abordagem integrada da problemática no domínio dos resíduos sólidos, tentando fornecer um conjunto de conhecimentos que permitam entender o funcionamento e objectivos das operações e processos utilizados no tratamento e valorização dos mesmos, procurando apresentar e discutir metodologias que permitam a adopção das soluções mais adequadas face às exigências legislativas e possibilitem uma selecção mais criteriosa das melhores opções do ponto de vista de uma gestão que se quer integrada e sempre no respeito pelo princípio da sustentabilidade ambiental, económica e social.

    Conteúdo Programático
    Problemática no domínio dos resíduos sólidos. Definição de resíduos. Tendências actuais na gestão de resíduos. Conceito de gestão integrada. Legislação comunitária e nacional. Caracterização quantitativa e qualitativa dos resíduos. Recolha, transporte e transferência. Recolha selectiva. Processamento e estações de triagem. Reciclagem material por fileiras e fluxos. Valorização orgânica: compostagem e digestão anaeróbia. Valorização energética: incineração e outros tratamentos. Confinamento em aterro. Indicadores de desempenho dos tecnossistemas de resíduos.

     

      Ordenamento do Território

    Objectivos
    Transmitir aos alunos as noções básicas de planeamento, assim como as metodologias de ordenamento do território. Pretende-se transmitir uma visão globalizante do espaço e da sua funcionalidade, disponibilizando um conjunto de técnicas e metodologias de caracterização que integram os conhecimentos obtidos nas disciplinas específicas precedentes.
    Conteúdo programático
    Planeamento ambiental: planeamento e ordenamento do território; fases de um processo de planeamento; características do ordenamento do território; modelos de planificação. Conceitos fundamentais: uso, função e actividade; aptidão, capacidade e potencialidade; desenvolvimento sustentável. Caracterização do território: fontes de informação; variáveis de análise biofísicas e sócio-económicas; classificação dos usos do solo. Análise e tratamento da informação: tipos e fontes de informação; técnicas disponíveis para o tratamento da informação; definição de unidades operativas de planeamento. Enquadramento legal e instrumentos de planeamento: regime jurídico dos instrumentos de gestão territorial; programa nacional da política de ordenamento do território; planos regionais de ordenamento do território; planos municipais e intermunicipais de ordenamento do território; planos especiais de ordenamento do território; instrumentos regulatórios e condicionantes. Apresentação de casos de estudo.

     

      Turismo em Espaço Rural 

    Objectivos
    A disciplina de Turismo em Espaço Rural visa preparar os alunos para a elaboração e gestão de serviços e actividades em zonas rurais, preparando produtos turísticos completos e diversificados. A preparação destas iniciativas não poderá destruir as características regionais, alertando os alunos para a importância da recuperação e reanimação do património, explorando de forma sustentada o património natural e construído, bem como o histórico e cultural.
    Conteúdo programático
    Actividade turística em meio rural. Noções gerais sobre turismo e turistas. Características do Turismo em Espaço Rural (TER). Enquadramento legal. Modalidades de hospedagem. Outras funcionalidades ligadas ao TER. Outras formas de turismo praticadas em espaços rurais e meios naturais. Factores determinantes de sucesso do empreendimento em TER. O desenvolvimento rural. Actividade agrícola e conservação ambiental e cultural. Repercussões do turismo sobre a economia, sociedade e ambiente. Efeitos do turismo em meio rural sobre as regiões hospedeiras. Aspectos práticos da elaboração de produtos turísticos em espaços rurais e naturais. Empresas de animação turística. Percursos pedestres. Introdução à interpretação ambiental. Caracterização da oferta de TER. Tipologia da oferta TER em Portugal. Síntese da avaliação da oferta. Formalidades de criação de actividade no TER. Desenvolvimento de produtos TER. Avaliação do potencial turístico de uma zona rural. Importância e componentes da avaliação. Diagnóstico de potencial turístico. Avaliação da oferta. Avaliação da procura. Avaliação da concorrência. Avaliação das tendências de mercado. Estratégia de desenvolvimento do produto turístico em meio rural. Estratégias de promoção. Imagem de marca. Comunicação territorial. Finalidade da comunicação territorial. O marketing cruzado. Qualidade no sector TER. Desenvolvimento de um projecto de promoção. Enquadramento geográfico. Produtos. Estratégia de marketing cruzado.

     

    Avaliação de Impacte Ambiental

    Objectivos
    A disciplina de Avaliação de Impacte Ambiental pretende familiarizar os alunos com toda a problemática legislativa e técnico-científica suscitada no âmbito dos impactes ambientais provocados pelo Homem. Procuram-se estabelecer metodologias de trabalho, quer na organização quer na execução deste tipo de estudos, de forma a tornarem-se cada vez mais uma ferramenta de trabalho útil e operacional. Dedica-se especial atenção aos impactes ambientais promovidos pelos projectos mais correntes no nosso país.A Cinegética tem, nos últimos anos, alcançado uma grande importância para a valorização de áreas naturais que perderam grande parte do seu interesse agro-pecuário. No entanto, nem sempre a gestão dos espaços naturais e das populações é efectuada utilizando os conhecimentos técnicos e científicos actuais, recorrendo-se excessivamente ao empirismo e às práticas tradicionais. Pretende-se com esta disciplina que os alunos adquiram conhecimentos sobre as espécies de interesse cinegético e as metodologias de gestão das suas populações e de maneio do habitat.

    Conteúdo programático
    Introdução à Avaliação do Impacte Ambiental (AIA). Conceitos fundamentais e princípios: Impacte. AIA e EIA. Projecto e acção. Alternativas. Significado de um mpacte. Tipos de impacte. Impactes residuais e mitigação de impactes. O Sistema de Avaliação de Impacte Ambiental: quadro legal nacional e europeu. Entidades envolvidas. Principais produtos. O processo de Avaliação de Impacte Ambiental: selecção de projectos. Definição do âmbito. Estudo de Impacte Ambiental (EIA). Revisão ou apreciação técnica do EIA. Decisão / Declaração de Impacte Ambiental (DIA). Pós-avaliação. Elaboração de estudos de impacte ambiental: tipologias de estudos de impacte ambiental de acordo com o âmbito e conteúdo. Partes constituintes de um Estudo de Impacte Ambiental. Fases dos Estudos de Impacte Ambiental: Identificação de alternativas. Estudos de Base e Situação de Referência. Medidas de mitigação. Participação do público no processo de AIA: Técnicas de participação pública. A participação do público no contexto nacional. Resumos não técnicos. Avaliação de impacte sócio-económico: conceitos e aplicação em projectos. Modalidades de avaliação. Métodos e estratégias de abordagem para acções de avaliação. A avaliação e a apresentação e difusão dos resultados. Métodos em Avaliação de Impacte Ambiental: selecção de acções. Definição do âmbito e identificação de impactes. Caracterização do ambiente afectado. Identificação, predição e avaliação de impactes. Avaliação de Impacte Ambiental em projectos: florestais; hidráulicos; de parques eólicos; agro-pecuários.
     

      Hidráulica e Engenharia Biofísica

    Objectivos
    Esta disciplina visa capacitar os alunos da formação técnica necessária para a concepção, análise e assistência na elaboração e execução de projectos que visam a resolução de disfunções ambientais na sua futura actividade profissional. Numa primeira parte será transmitido aos alunos um conjunto de conhecimento das propriedades e leis físicas fundamentais da água e conferir-lhes capacidade para dimensionar estruturas hidráulicas de transporte de água, em escoamento permanente, sob pressão e com superfície livre. Na segunda parte da disciplina serão transmitidos conhecimentos sobre técnicas de engenharia que procuram solucionar disfunções ambientais (estabilização de taludes, recuperação e valorização de linhas de água e recuperação ambiental de explorações de inertes, entre outras), procurando que a obra preencha os objectivos que se lhe colocaram do ponto de vista funcional e se insira, simultaneamente o mais harmoniosamente possível no espaço.
    Conteúdo programático
    Hidráulica. Propriedades físicas dos fluidos. Hidrostática; pressão, impulsão. Hidrodinâmica; equação da continuidade, teorema de Bernoulli, leis da resistência do escoamento; equação de Colebrook-White, equação de Manning. Escoamento permanente sob pressão; cálculo e dimensionamento de condutas. Sistemas de bombagem; tipos de bombas, características das bombas centrífugas, diagramas. Escoamento permanente com superfície livre; escoamento uniforme (equação de Manning), energia específica, altura crítica, escoamento gradualmente variado. Estabilidade de taludes. Tipos de instabilidade dos solos. Agentes de instabilidades. Cálculo de estabilidade. Acções correctivas: trabalhos de estabilização e obras de suporte de terras. O projecto ambiental. Fases de elaboração do projecto ambiental. O conhecimento do terreno. Construção e estabilização de taludes. Estabilização de linhas de drenagem e sistemas de controlo de erosão. Renaturalização, recuperação e valorização de linhas de água. Materiais vivos: critérios para selecção das espécies vegetais, caracterização das espécies mais utilizadas. Materiais inertes. Estimativa de custos. Técnicas de construção e manutenção: preparação do terreno, propagação e manutenção do material vegetal, técnicas de construção de apoio e consolidação, drenagem biotécnica, técnicas de construção e estabilização, técnicas de construção de cobertura, técnicas de construção complementares.

     

      Recursos Cinegéticos e Piscícolas

    Objectivos
    Com a disciplina de Recursos Cinegéticos e Piscícolas pretende-se que os alunos adquiram conhecimentos genéricos no âmbito da biologia, conservação e gestão das principais espécies cinegéticas e piscícolas existentes em Portugal.
    Conteúdo programático
    Importância da actividade cinegética. Caracterização das espécies de interesse cinegético. Métodos de determinação da idade e do sexo. Gestão das populações e censos. Gestão do habitat. Enquadramento legal. Recursos piscícolas dulciaquícolas, panorâmica da piscicultura portuguesa e comunitária. Principais espécies piscícolas de águas interiores autóctones e alóctones; biologia das espécies. Pesca desportiva e pesca comercial: caracterização, legislação, valorização económico-social. A qualidade da água: zonas salmonídeas e zonas ciprinídeas. Gestão de stocks e maneio do habitat.

     

      Estágio

    Objectivo
    O estágio será realizado numa instituição exterior à Escola e tem como objectivo genérico a aplicação dos conhecimentos técnico-científicos adquiridos ao longo do curso num contexto profissionalizante. A sua importância no seio do curso é fundamental, tendo diversas vertentes que é necessário realçar. Permite aos alunos adquirirem informação sobre a área científica escolhida num âmbito aplicado e prático. Implica a necessidade de contacto com as metodologias de pesquisa de informação, tratamento de dados e redacção de relatórios. Tem também uma acção formativa relativamente à utilização integrada dos conhecimentos adquiridos em diversas disciplinas, permitindo a valorização de muitas das temáticas abordadas anteriormente. Um outro aspecto fundamental neste trabalho de fim de curso será o contacto com instituições exteriores à Escola, que familiarizam o aluno com o trabalho de índole profissional aí praticado. Possibilita, além disso, o contacto com entidades e pessoas que poderão contribuir decisivamente para a integração profissional destes alunos. Permite, finalmente, que as competências pessoais do aluno em termos de autonomia, capacidade de decisão e empreendedorismo sejam aperfeiçoadas num ambiente próximo daquele em que virá a decorrer a sua actividade profissional.

Outro curso relacionado com Engenharia Ambiental

Utilizamos cookies para melhorar nossos serviços. Se continuar navegando, consideramos que aceita o seu uso. Ver mais  |