Home>Pós-graduação>Estudos do Meio Ambiente>Lisboa - Cidade>Pós-Graduação em Arboricultura Urbana - Lisboa - Cidade - Lisboa
 

Pós-Graduação em Arboricultura Urbana

Loading...

Solicite informação sem compromisso
UTL - Universidade Técnica de Lisboa

Pós-Graduação em Arboricultura Urbana - Lisboa - Cidade - Lisboa

Nome
Apelido
E-mail
Telefone
Teléfono Fixo ou Celular [Prefijo+ nº]
 
 
 
 
Distrito
País
Movil
Comentários / Perguntas
Para enviar a solicitaçao, você deve aceitar a política de privacidade
* Campos obrigatórios

Em breve um responsável de UTL - Universidade Técnica de Lisboa, entrará em contacto contigo para mais informações.
Por favor, preencha todos os campos corretamente
Pós-Graduação em Arboricultura Urbana - Lisboa - Cidade - Lisboa Comentários sobre Pós-Graduação em Arboricultura Urbana - Lisboa - Cidade - Lisboa
Objectivos:
A árvore na cidade é actualmente imprescindível ao nosso bem-estar enquanto elemento estético e de amenização do clima. Porém, a presença de árvores no meio urbano levanta problemas específicos de compatibilização com a propriedade, a saúde e os equipamentos e actividades urbanas. O actual investimento das autarquias e a situação de muito do arvoredo urbano sugerem a necessidade de formação avançada dirigida aos técnicos responsáveis pelo planeamento, instalação, condução e manutenção dessas arborizações. O Instituto Superior de Agronomia possui as competências técnicas e científicas para proporcionar uma formação de Pós-Graduação em Arboricultura Urbana, podendo fornecer aos licenciados os fundamentos de que tantas vezes necessitam para desempenharem as suas funções com competência e segurança profissional. Por todas estas razões, temos a convicção de que esta pós-graduação corresponderá às expectativas e desafios de todos aqueles que pretendam desenvolver os seus conhecimentos e valorizar as suas qualificações nas áreas da arboricultura urbana. Se este é o seu caso, esperamos contar consigo brevemente.
Dirigido a:
O curso destina-se a técnicos com graduação (licenciatura ou bacharelato) nas ciências agrárias e do ambiente, bem como licenciados ou bacharéis em biologia e em arquitectura paisagista, ou com cursos tidos por equivalentes pela Comissão Coordenadora do Curso, leccionadas no Instituto Superior de Agronomia, noutros estabelecimentos de ensino da Universidade Técnica de Lisboa e noutras Universidades e Institutos Politécnicos de Portugal, da União Europeia e de outros países de expressão oficial portuguesa.
Conteúdo:

Condução das árvores no viveiro: plantas de raiz nua, torrão e em vaso; poda e preparação do
sistema radical; estabelecimento do viveiro; influência do solo e do clima na qualidade das
plantas; sistema de rega e de drenagem; influência da fertilização na qualidade das plantas;
produção de plantas em vaso; propriedades dos substratos; dimensões e forma dos vasos;
sistemas de fertirega; espaçamento e tutoragem das plantas. Poda de formação: a forma das
árvores ('standard', 'semi-standard', vaso, guia modificada, formas fastigiadas, formas
multitronco, formas pêndula e formas naturais); técnicas de poda adequadas a cada forma
específica; influência da poda no crescimento e desenvolvimento da árvore. Poda de
manutenção: tipos e funções da poda (limpeza, renovação da copa, cirurgia, rolagem); época da
poda; aplicação ao caso das caducifólias, perenifólias e palmeiras; o caso particular da topiaria.
Estabelecimento e manutenção das árvores: técnicas de plantação; características específicas
do solo e do clima urbano; drenagem;. época de plantação e particularidades das árvores de
raiz nua, em torrão e em vaso; operações culturais ao longo da vida da árvore; rega, fertilização
e protecção fitossanitária. Estudos de caso: utilização de árvores em alinhamentos na cidade;
parques públicos; jardins privados; parques de estacionamento automóvel; esplanadas. Visita
de estudo a um viveiro de árvores ornamentais.
Efeitos dos Espaços Arborizados nas Cidades
Francisco Castro Rego (ISA/UTL e DGRF) e Ana Luísa Soares (ISA/UTL)
16,0 horas
Efeitos da árvore na cidade. Condições que a cidade oferece à árvore. Relação benefício/ custo
da árvore na cidade. A árvore na concepção, planeamento e gestão de espaços verdes. Casos de
estudo e exemplificação prática.
Fisiologia das Árvores
João Santos Pereira (ISA/UTL)
13,5 horas
Introdução: implicações ecológicas e fisiológicas da arborescência; a árvore e o Homem;
porque plantamos árvores na cidade? Como crescem e funcionam as árvores: como crescem as
árvores? De onde vêm os recursos para o crescimento e como se distribuem? Como se forma a
copa? Porque há copas diferentes nas árvores? Porque é que as folhas mudam de cor e caiem?
Porque é que árvores arruínam os passeios? Como as características ecofisiológicas naturais

influenciam o desempenho das árvores no meio urbano? Factores limitantes e de stress: a água,
a temperatura, os nutrientes, as condições físicas do solo (encharcamento; compactação), a
poluição do ar, a luz. Interacções com inimigos biológicos das árvores. Algumas medições de
interesse para conhecer o estado fisiológico das árvores.
Identificação e Características de Árvores para Uso Urbano
António Fabião (ISA/UTL)
16,5 horas
Breve revisão da Taxonomia das árvores. Conceito de arborescência. Critérios básicos de
identificação expedita de árvores e arbustos. Taxonomia das Resinosas e critérios de
identificação: exemplificação prática no exterior. Resinosas em meio urbano: alguns critérios
de selecção de árvores. Taxonomia das Folhosas e critérios de identificação: exemplificação
prática no exterior. Folhosas em meio urbano: alguns critérios de selecção de árvores e
arbustos. Identificação de Resinosas e Folhosas: exemplificação de critérios de identificação na
Tapada da Ajuda e em visitas de estudo. Dimensões e preferências edafo-climáticas de
espécies arbóreas e arbustivas com uso ornamental.
Produção de Plantas Lenhosas
Helena Almeida (ISA/UTL) e Ângelo Oliveira (ISA/UTL)
23,5 horas
Qualidade dos propágulos: Selecção de Propágulos; Importância da origem do material
vegetal. Manipulação dos propágulos: Manipulação de sementes: Fisiologia das sementes;
Planeamento da colheita; Métodos de recolha; Manipulação do fruto e da semente no período
entre a recolha e o processamento; Extracção, Limpeza e conservação de sementes; Tratamento
pré-germinativo das sementes; Ensaios de sementes; Factores que condicionam a propagação
vegetativa; Técnicas de Propagação Vegetativa: Estacaria; Enxertia; Mergulhia e Amontoa.
Técnicas de produção de propágulos: Produção de plantas por raiz nua, e em contentores;
Caracterização dos substratos: A compostagem como forma de produção de substratos;
Controlo da nutrição e da rega nas primeiras fases de produção de plantas; Tratamentos
culturais: repicagem, poda radicular.
Protecção contra Agentes Bióticos
Joana Duclos (ISA/UTL)
23,0 horas
Introdução: Factores que influenciam a incidência e severidade de pragas e doenças nas árvores
em ambiente urbano. A importância da fitossanidade na selecção, gestão e manutenção da
árvore em ambiente urbano. Legislação fitossanitária. Como reconhecer a presença de pragas
nas árvores? Sintomas associados à presença das pragas segundo diferentes grupos alimentares:
desfolhadores, sugadores, subcorticais, perfuradores do lenho e indutores de galhas. Estragos
associados a cada um destes grupos alimentares. Manifestações de doença nas árvores.
Conceito de doença, sintomas e sinais, agentes causais. Doenças mais frequentes em árvores.
Doenças no viveiro e em ambiente urbano – doenças radiculares, doenças do tronco, doenças
ao nível da copa. Doenças complexas (factores de predisposição, factores desencadeantes e de
contribuição). Diagnóstico e inspecção de árvores. O caso particular das podridões (tipos de
podridões, principais fungos, mecanismos de defesa das árvores); métodos de diagnóstico.
Estratégias de protecção em relação a pragas e doenças em ambiente urbano. A prática
fitossanitária; características diferenciadoras e condicionantes das intervenções sanitárias em
ambiente urbano. Tácticas de protecção mais adequadas para os principais grupos de pragas e
doenças. Aplicações práticas. Observação em laboratório e/ou no campo do ataque de
diferentes grupos de pragas. Colheita e observação de material vegetal doente. Normas de
colheita de material doente, diagnóstico visual e diagnóstico etiológico. Discussão in loco
sobre medidas de protecção a adoptar. Árvores em risco – diagnóstico visual, discussão de
medidas de prevenção e de correcção.
Sistemas de Informação e Apoio à Gestão
José Calvão Borges (ISA/UTL) e Graça Abrantes (ISA/UTL)
30,5 horas


Introdução; dados vs. informação; sistemas de gestão de ficheiros e sistemas de gestão de bases
de dados; sistemas e tecnologias de informação nas organizações: uma perspectiva unificadora.
Objectivos de um sistema de gestão de bases de dados. Redução da redundância e eliminação
da inconsistência. Segurança, integridade, independência, controlo da concorrência e
recuperação/tolerância a falhas. A informação na base de dados. O sistema de gestão de bases
de dados e os utilizadores. Modelos de bases de dados. Modelo relacional. Tabelas e relações.
Modelo entidade-associação. Restrições de integridade e normalização. Linguagem de
manipulação SQL Demonstração da conceptualização de um modelo relacional e de utilização
da linguagem SQL. Novos modelos de bases de dados. Modelo orientado a objectos.
Arquitecturas de sistemas de gestão de bases de dados. Quadro de referência para a qualidade
dos dados e da gestão de bases de dados em gestão de recursos naturais. Conceptualização e
implementação de sistemas de gestão de bases de dados em arboricultura urbana; casos de
estudo. Características específicas da informação geográfica. Arquitecturas e modelos de dados
das aplicações comerciais para suporte de SIG. Georreferenciação e fontes de informação
geográfica. Análise espacial. Processo de desenvolvimento de SIG. Aplicações práticas.

Outro curso relacionado com Pós-graduação de Estudos do Meio Ambiente: