Home > Mestrado > Biotecnologia > Coimbra - Coimbra > Mestrado em Biocombustíveis - Coimbra - Coimbra - Coimbra

Mestrado em Biocombustíveis

Solicite informação sem compromisso ESAC - Escola Superior Agrária de Coimbra

Para enviar a solicitaçao, você deve aceitar a Política de Privacidade

Comentários sobre Mestrado em Biocombustíveis - Presencial - Coimbra - Coimbra - Coimbra

  • Objectivos
    Os objectivos do ciclo de estudo são o de formar profissionais especializados com conhecimentos adequados a:



    1. Concepção, planeamento, projecto, implementação, gestão e monitorização de pequenas unidades produtoras de biocombustivel.

    2. Prestação de apoio técnico-científico, manutenção, funcionamento de unidades de produção de biocombustiveis e componentes associadas aos processos, uncluindo a recolha e selecção da biomassa, as culturas, as técnicas de recolha e os métodos de transformação.
  • Titulação
    Mestrado em Biocombustiveis
  • Conteúdo
    A organização do presente curso de Mestrado é a indicada nos artigos
    20.º e 23.º da Lei n.º 74/2006. Assim, o primeiro ano integra um curso de
    especialização, constituído por um conjunto organizado de unidades
    curriculares, denominado curso de mestrado, a que corresponde 50% do
    total dos créditos do ciclo de estudos (60 ECTS). O segundo ano corresponde
    a um estágio de natureza profissional que poderá constituir a base de
    desenvolvimentos e ou aplicações originais, em muitos casos em contexto de
    investigação; que é objecto de relatório final, correspondendo aos restantes
    50% do total dos créditos do ciclo de estudos.

    O grau de mestre é conferido aos que obtenham aprovação nas
    unidades curriculares que integram o plano de estudos do curso e no acto
    público de defesa do trabalho de projecto ou relatório de estágio profissional.
    Biocombustíveis
    Duas vertentes têm vindo a desenhar-se como importantes na área
    dos biocombustíveis [2]:

    A primeira envolve a conversão de óleos e gorduras, animais ou
    vegetais em ésteres metílicos ou etílicos de ácidos gordos, que constitui um
    combustível com propriedades próximas ao cetano (diesel). Este pode ser
    usado naqueles motores diesel de uma forma parcial ou mesmo total, sem
    qualquer modificação do motor. Uma grande variedade de óleos poderá ser
    usada, existindo mesmo unidades em funcionamento que transformam
    directamente óleos extraídos de culturas especificamente para esse fim. No
    entanto um elevado volume de combustível poderá ser obtido por
    recuperação de óleos e gorduras de fritura, subproduto da actividade
    alimentar, e mesmo por recuperação de gorduras de origem animal.
    A segunda envolve a obtenção de etanol, que pode ser adicionado à
    gasolina ou utilizado de forma exclusiva em motores modificados. O etanol é
    essencialmente obtido pela fermentação alcoólica de soluções açucaradas,
    sendo a sua tecnologia bem conhecida e utilizada desde a antiguidade. Assim
    sumos de frutos, ou subprodutos açucarados poderão sofrer conversão
    directa a etanol. Exemplos são os melaços de cana utilizados no Brasil; a
    beterraba sacarina, que após moagem é facilmente fermentável a etanol.
    Produtos contendo amido poderão também ser convertidos em etanol, mas
    exigem um passo adicional onde os polissacarídeos são hidrolisados a
    glucose. Desta forma batata, cereais, restos de alimentos poderão ser
    convertidos, podendo em certas áreas constituir possibilidades interessantes
    de produção de etanol.

    No entanto a via que se prevê constituir como a mais importante e
    mais competitiva é a utilização de materiais lenhino-celulósicos na obtenção
    de etanol.[3] Assiste-se hoje, a nível mundial, a uma corrida pela aquisição
    e desenvolvimento da tecnologia que permita utilizar estes materiais, muito
    abundantes, baratos e muitas vezes resíduos que necessitam de tratamento.
    Entre estes refere-se a madeira, as palhas resultantes da produção
    cerealífera, as carumas e outros resíduos florestais, o papel velho, entre
    outros. A possibilidade de uso deste tipo de biomassa é conhecido há longos
    anos, simplesmente o processo não era economicamente competitivo com o
    petróleo, com a tecnologia até recentemente existente. O preço actual do
    petróleo e as novas tecnologias disponíveis, especialmente a engenharia
    genética, têm potencial para inverter totalmente a situação.
     
     

Outro curso relacionado com Biotecnologia

Utilizamos cookies para melhorar nossos serviços. Se continuar navegando, consideramos que aceita o seu uso. Ver mais  |