Home > Mestrado > Estudos Europeus > Évora - Évora > Mestrado em Estudos Ibéricos - Évora - Évora - Évora

Mestrado em Estudos Ibéricos

Solicite informação sem compromisso UE - Universidade de Évora

Para enviar a solicitaçao, você deve aceitar a Política de Privacidade

Comentários sobre Mestrado em Estudos Ibéricos - Presencial - Évora - Évora - Évora

  • Objectivos
    Numa época de integração europeia e de globalização, em que as fronteiras se esbatem e se questiona a sobrevivência das "identidades" nacionais ou regionais, este ciclo de estudos em Estudos Ibéricos visa proporcionar uma especialização interdisciplinar que incide na interacção das culturas de Portugal e de Espanha. Com esse objectivo, o ciclo de estudos centra-se nas especificidades literárias, linguísticas e culturais dos povos peninsulares, visto serem aspectos essenciais à compreensão da identidade dos povos da Península Ibérica. Este ciclo de estudos destina-se, pois, a aprofundar o conhecimento e a investigar matérias cujo denominador comum é a Península Ibérica, enquanto espaço culturalmente plural e multilingue. Nas últimas décadas, o contexto da União Europeia, as relações económicas e empresariais das mais variadas naturezas e a circulação de pessoas num mercado de emprego cada vez mais aberto suscitaram um renovado interesse, tanto por parte dos espanhóis em relação a Portugal como por parte de portugueses em relação a Espanha, como, ainda, de nacionais de outros países da União. Após séculos de ignorância mútua, este fenómeno de abertura à cultura do país vizinho exige reflexão, análise e investigação de problemáticas literárias, linguísticas, históricas, antropológicas, artísticas e filosóficas. Criado numa Universidade de tradição verdadeiramente ibérica, parceira natural da sua congénere extremeña, o 2º Ciclo em Estudos Ibéricos tem, em suma, como finalidades: - promover a investigação das relações históricas e actuais dos povos peninsulares, nas suas expressões fundamentais e construtoras de identidade cultural - a língua e a literatura; - facultar aos licenciados, sejam portugueses, sejam espanhóis, ou, ainda, de outros países da União Europeia, competências de intervenção cultural específicas, necessárias ao desempenho de diversas actividades profissionais (relações internacionais, ensino, tradução, promotores e dinamizadores culturais, quadros técnicos, etc.).
  • Dirigido a
    Titulares do grau de licenciado ou equivalente legal ou de grau académico conferido no âmbito de um 1º ciclo organizado de acordo com o Processo de Bolonha, em qualquer domínio das Ciências Humanas e Sociais, com a classificação final de BOM (14 valores). Poderão igualmente ser admitidos detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido, pelo Conselho Científico da Área Departamental, como atestando capacidade para a realização do ciclo de estudos (Cf. Regulamento do ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre pela Universidade de Évora, artª 7º, Ordem de Serviço nº 14/2006).
  • Titulação
    Mestre em Estudos Ibéricos
  • Conteúdo
    Numa época de integração europeia e de globalização, em que tanto se questiona a sobrevivência da identidade cultural dos povos europeus, sobretudo a dos países mais pequenos ou mais periféricos, logo a língua e a literatura são vistas como reserva cultural desses povos. Herdeira de uma tradição latina, linguisticamente continuada em línguas românicas (português, galego, castelhano, catalão), com as respectivas variedades dialectais, e uma série de falares fronteiriços, as chamadas "falas raianas", além das literaturas de maior circulação - a portuguesa e a espanhola -, na Península Ibérica existem hoje outras, como a catalã ou a galega, que evidenciam e reforçam a especificidade cultural das várias regiões peninsulares. O mosaico linguístico acima traçado só ficará completo com referência ao euskera - a língua basca - um dos mais antigos substratos do território peninsular.

    Apesar da antiga tradição comum, por razões de ordem vária, nem sempre o conhecimento mútuo, inclusive ao nível das línguas, tem sido aquele que a proximidade geográfica e a afinidade histórica permitiriam ou justificariam. Nas últimas décadas, porém, tem vindo a registar-se um renovado interesse dos espanhóis pela literatura e língua portuguesas, não sendo menos assinalável a tendência inversa. Eventualmente impulsionado por factores económicos, profissionais ou outros, em consequência da integração de Portugal e da Espanha na CEE, actual União Europeia, esse fenómeno de abertura à cultura do país vizinho suscita a reflexão sobre uma série de problemáticas linguísticas e literárias que faz todo o sentido no âmbito de um Mestrado em Estudos Ibéricos, criado numa Universidade de fundação quinhentista, de tradição verdadeiramente ibérica e tão próxima da "raia".

    O estudo dos traços culturais comuns aos povos peninsulares, nas suas expressões fundamentais e construtoras - a língua e a literatura -, embora decorra dos Estudos Hispânicos, antigo filão filológico, linguístico, literário e cultural, em suma, conheceu recentemente um notável impulso com a criação, na Guarda, de um Centro de Estudos Ibéricos, apadrinhado pelas Universidades de Salamanca e de Coimbra, cujos objectivos se centram no estudo da Península Ibérica, definida por Eduardo Lourenço como "raro exemplo de longo passado comum e de heranças partilhadas que a institui como um dos espaços privilegiados onde se joga o sentido da História presente e futura".

    O Curso de Mestrado visa possibilitar uma melhor compreensão da especificidade das línguas, das literaturas e das culturas peninsulares no seu estado actual, objectivo para o qual cooperam áreas científicas como a História, a Antropologia, os Estudos Artísticos, a Música ou a Filosofia.

    Em conformidade com o espírito da Convenção de Bolonha, o Curso contribui para a cooperação académica entre os países da União, uma vez que o "Convénio Cultural entre a Universidade de Évora e a Universidade da Extremadura" contempla, no seu artigo 7º, a possibilidade de intercâmbio de docentes e de alunos. Além da Universidade da Extremadura, entre outras instituições espanholas, está prevista a colaboração regular com as Universidades de Salamanca, de Santiago de Compostela, Granada e Complutense de Madrid.

    Destinatários
    Espaço de reflexão, de investigação e de valorização profissional, o Curso destina-se a um público-alvo que, tendo habilitações académicas, actividades profissionais e interesses culturais diversificados, pretenda ampliar e aprofundar o seu conhecimento sobre as várias manifestações que consubstanciam a identidade cultural dos povos peninsulares.

    O Curso de Mestrado em Estudos Ibéricos destina-se, pois, a quadros especializados em áreas e actividades profissionais com intervenção ao nível das relações culturais e linguísticas entre Portugal e Espanha, designadamente a professores de línguas, de Literatura, de História, profissionais de editoras, jornalistas, tradutores, gestores turísticos e culturais.

Outro curso relacionado com Estudos Europeus

Utilizamos cookies para melhorar nossos serviços. Se continuar navegando, consideramos que aceita o seu uso. Ver mais  |