Mestrado em Sociologia da Saúde e da Doença

Solicite informação sem compromisso ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa

Para enviar a solicitaçao, você deve aceitar a Política de Privacidade

Comentários sobre Mestrado em Sociologia da Saúde e da Doença - Presencial - Lisboa - Cidade - Lisboa

  • Objectivos
    Este mestrado apresenta uma proposta de formação sociológica sobre a saúde e a doença que abrange vários aspectos: a medicalização das sociedades; as determinantes e representações sociais da saúde e da doença; o estudo das relações sociais entre profissionais e doentes em diferentes contextos terapêuticos; as influências, nacionais e internacionais, na definição das políticas no sistema de saúde português; a saúde mental e o indivíduo, a família e a comunidade; os novos desafios para a saúde pública (por exemplo, o sida, a gripe das aves, o reaparecimento da tuberculose, as novas formas de malária); as questões da saúde reprodutiva; e as novas formas de desigualdade e discriminação na relação dos indivíduos com os serviços de saúde. O estudo de todos estes aspectos será feito tendo em consideração os processos globais de risco e de incerteza que têm moldado a experiência contemporânea de viver a saúde e a doença. Por um lado, os novos conhecimentos e tecnologias de diagnóstico e tratamento que se confrontam com o crescimento das doenças crónicas e degenerativas, de onde têm emergido novas formas de incapacitação e estigmatização, bem como novos dilemas e implicações éticos. Por outro lado, a complexidade acrescida da gestão da dor e da organização terapêutica dos cuidados continuados e paliativos, reclamando qualificações mais exigentes, capazes de reformular e inovar as competências de todos os agentes de saúde envolvidos. Também as novas formas de desigualdade e exclusão social na saúde são originadas pelo envelhecimento da população, pela pobreza, pela condição de género, pela etnicidade e pela desigual distribuição do conhecimento e acesso aos serviços de saúde. Acresce ainda que apareceram novos agentes, recursos e orientações políticas, novas formas de contratualização na gestão da saúde das populações e novas tecnologias de comunicação e de informação que introduzem alterações significativas nas relações entre as profissões de saúde e os doentes. A estes movimentos não são de todo alheias as novas formas de protagonismo leigo que, por exemplo, estão na base do aumento significativo das associações dos doentes. A concepção deste mestrado tem em linha de conta todos estes aspectos e estrutura-se a partir das necessidades de formação deles decorrente.
  • Dirigido a
    Podem candidatar-se a este mestrado todos os alunos com o 1º. ciclo de estudos universitários, seja qual for a sua origem disciplinar e a sua área de especialização, havendo preferência pelos que apresentem no processo de candidatura uma proposta de trabalho, para o desenvolvimento de pesquisa e intervenção em contextos de saúde.
  • Titulação
    Mestre em Sociologia da Saúde e da Doença
  • Conteúdo
    Plano de Estudos:

    1º Semestre
    Sociologia da saúde: uma introdução crítica
    Novas doenças e novos doentes: a gestão da incerteza
    Métodos e técnicas de investigação em ciências sociais ou Optativa livre
    Optativa em Sociologia da saúde e da doença 2
    Optativa em Sociologia da saúde e da doença 2

    2º Semestre
    Sociologia da saúde: perspectivas e debates contemporâneos 
    Profissões: protagonismos emergentes em saúde
    Políticas de saúde
    Optativa em Sociologia da saúde e da doença 2  
    Optativa em Sociologia da saúde e da doença 2 



Outro curso relacionado com Sociologia

Utilizamos cookies para melhorar nossos serviços.
Se continuar navegando, aceita o seu uso.
Ver mais  |